versão para impressão     fonte menorfonte padrãofonte maior
DEU NO JORNAL
 

Café pequeno
Na primeira sessão mais alvoroçada da Câmara desde o fim do recesso parlamentar, Chico Alencar (PSOL-RJ) resolveu dar um tempo do debate sobre a TV Pública e foi até o cafezinho que fica ao lado do plenário.
-Que café é esse?-, perguntou à funcionária.
-Ah, é café Odebrecht...
-Como assim?-, espantou-se o deputado, para quem o nome remetia apenas à conhecida empreiteira. Ao verificar de se tratava de uma empresa homônima, com sede em Londrina (PR), Alencar comentou:
-Ah, bom... porque empreiteiras costumam financiar coisas bem diferentes aqui nesta Casa!
(FOLHA DE S. PAULO, 20 de fevereiro de 2008, Coluna Painel)

Feirão da Ré-Pública
Um grupo suprapartidário parlamentar realizou há pouco, no Salão Verde da Câmara, uma feira simbólica com produtos similares aos que foram comprados com cartões corporativos utilizados pela administração federal. O objetivo da feira foi incentivar a população a acompanhar as investigações da CPMI dos Cartões Corporativos. Ao participar da manifestação, o deputado Chico Alencar (Psol-RJ) disse que, se não houver uma pressão da população e dos parlamentares independentes, a CPI não terá resultado. Alencar afirmou que defende o uso do cartão corporativo, desde que seja "austero e transparente".
(AGÊNCIA CÂMARA, 21 de fevereiro de 2008)


Sucesão carioca
O PV tentou incorporar o PSOL, na articulçaão com o PSDB e o PPS, para disputar a prefeitura do Rio. Fernando Gabeira (PV) fez o convite a Chico Alencar (PSOL), que lhe respondeu que seu partido "não faz coligação com o PSDB".
(O GLOBO, 21 de fevereiro de 2008)

Galanteador
Ao passar ontem o cargo de líder do PSOL na Câmara dos Deputados para Luciana Genro, Chico Alencar declarou ao fim do pronunciamento: "Trata-se de uma mulher de grande estatura ética e... estética. A moça ficou vermelha. Sem trocadilho.
(JORNAL DO BRASIL, 20 de fevereiro de 2008, Coluna Anna Ramalho)

Eficiência na Câmara

Poucos são os gabinetes da Câmara dos Deputados onde os funcionários fazem a diferença, atendendo a todos com atenção, procurando solucionar os problemas da maneira mais rápida possível e com cordialidade. O Deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), líder do seu partido, conseguiu reunir um "time" invejável, servindo de exemplo para outros gabinetes com as competentes e simpáticas Cássia, Maria do Socorro, Berenice e Graça. Não é por acaso que Chico Alencar foi eleito um dos melhores parlamentares em ação no Congresso.
(BRASÍLIA TODAY, janeiro de 2008)

Destaque

Um outro nome que surgiu, desta vez na Câmara dos Deputados, como um dos melhores parlamentares do país em 2007 foi o de Chico Alencar, líder de seu partido. Ele não ficou só: os outros dois deputados do seu partido, Luciana Genro (RS) e Ivan Valente (SP) também foram escolhidos entre os de mais destaque no Congresso Nacional em 2007. Chico Alencar tem tido uma participação importante nas grandes questões discutidas no Congresso, como professor universitário e ex-presidente da Associação de Moradores do Rio de Janeiro, Chico Alencar tem facilidade para entender os problemas da população e tentar resolver. A sua saída do PT teve um momento antológico em seu discurso de despedida. Eleito com quase 120 mil votos, ele declarou que gastou apenas 81 mil reais em sua campanha. Além de ter sido o segundo deputado mais votado pelos jornalistas no prêmio Congresso em Foco, o parlamentar carioca desfruta de grande prestígio entre intelectuais e artistas do Rio de Janeiro como Paulinho da Viola e Chico Buarque de Holanda. Ele ainda participa de programas em emissoras de rádio, TV e já publicou mais de 35 livros, alguns didáticos. Chico Alencar tem seu nome sempre lembrado para concorrer à Prefeitura do Rio, mas ele acha que seu maior trabalho é com a moralização da atuação parlamentar na Câmara dos Deputados e ele tem lutado por ela, ainda que sem sucesso. Ele esteve à frente de diversas manifestações em Brasília que pediam o afastamento de Renan Calheiros do comando do Congresso e no Rio, todas as sextas-feiras realiza reuniões em praça pública para debater os grandes temas nacionais.
(BRASÍLIA TODAY, janeiro de 2008)

Resposta insatisfatória
O deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) também fez um requerimento sobre uso de aviões da FAB por autoridades. A resposta não tinha carimbo de confidencial, mas veio cheia de siglas e dados incompletos. "A linguagem tecnocrática é a do ocultamento. Não há prestação de contas à sociedade", reagiu. Para ele, o risco da divulgação dos caronas da FAB é nenhum.
(O ESTADO DE S. PAULO, 21 de fevereiro de 2008)

A disputa pelo rebanho
A declaração de Lula em Vitória surpreendeu até antigos aliados do presidente, como o deputado Chico Alencar (P-SOL-RJ), pelo fato de ele ter tomado partido de um dos lados em uma demanda judicial, o que não seria de seu feitio. "É evidente que se trata de uma ação orquestrada (os processos da Igreja Universal contra a Folha e os outros dois jornais)", diz Chico Alencar. "Só não vê isso quem tem medo de perder os votos do rebanho", acrescentou.
(VALOR ECONÔMICO, 21 de fevereiro de 2008)

Investigação geral
A líder do PSOL, deputada Luciana Genro (RS), e os deputados Chico Alencar (RJ) e Ivan Valente (SP) defendem uma investigação "ampla, real e irrestrita" sobre o uso dos cartões. "Não é possível haver plena credibilidade em uma investigação que tenha os governistas presidindo uma comissão para apurar supostas irregularidades do próprio governo", disse a deputada do Psol.
(O TEMPO, 21 de fevereiro de 2008)

Nova liderança
Ontem, o PSOL também elegeu a nova líder da bancada. A deputada Luciana Genro (RS) assumiu no lugar do deputado Chico Alencar (RJ). Luciana disse que vai aproveitar todos os momentos destinados às lideranças para apontar eventuais denúncias e suspeitas.
(O POPULAR, 20 de fevereiro de 2008)

   
Gabinete no Rio de Janeiro:
Av. Mem de Sá, 23 - sobrado - Lapa
CEP: 20230-150
Telefones: (021) 2232-4532 / 2232-4413
Gabinete em Brasília:
Câmara dos Deputados
Anexo IV - gabinete 848 CEP: 70160-900
Telefone: (61) 3215-1848/3215-2848
3215-3848/3215-5848