"João do Vale, o Poeta do Povo"


Marcando os 10 anos da morte de "João do Vale, o Poeta do Povo", está em cartaz no Teatro Glauce Rocha, um musical que conta e canta a vida e a obra deste que foi um dos maiores compositores da Música Popular Brasileira. O espetáculo fica em cartaz até o dia 18 de junho, às sextas, sábados e domingos, às 19h. Preços populares: $R20,00 (inteira) e R$10,00 (meia). Saiba mais
Texto e direção de Maria Helena Kühner, que traz não só suas músicas mais conhecidas ( Carcará, Pisa na Fulô, Cel. Antonio Bento, Sina de Caboclo etc.), como outras quase inéditas ( Fogo no Paraná, por ex.), em um total de 21 músicas, entremeadas com episódios da vida de João do Vale, ora cômicos - fruto de seu espírito alegre, irreverente e crítico - ora comoventes, nascidos de seu temperamento afetivo e de uma vida aventurosa, a que não faltaram grandes emoções..
A concepção do espetáculo relaciona a singular identidade de João do Vale - de negro e pobre, nascido no interior do Maranhão e que chega ao auge do sucesso, reconhecido e admirado pelos mais famosos nomes da MPB da época - com uma identidade coletiva, expressa nos temas e nas diferentes categorias sociais que ele cantou e representou ( lavradores, caminhoneiros, operários de obra, garimpeiros etc.). Para isso, usa, como pano de fundo de suas canções, a projeção de quadros de pintores brasileiros ( Portinari, Djanira, Tarsila, Heitor dos Prazeres, Di Cavalcanti etc.) reunindo e harmonizando diferentes linguagens representativas da cultura brasileira, a musical, a dramática e a pictórica.
Ficha técnica: no elenco, o cantor e ator Deuclides Gouvêa, com extensa folha em musicais famosos, como "Hair", "Calabar", "O Rei de Ramos", "Hoje é Dia de Rock", "Na Era do Rádio", "Missa dos Quilombos", "Obrigado Cartola", etc.; Rubens de Araújo, ator com ininterrupta atividade em mais de 40 anos de teatro, TV e cinema; Marcê Porena, saudada como "cantora-revelação" no musical "Elis Regina". Produção de Rômulo Rodrigues. Direção Musical e Arranjos (além de flautas e violões de 6 e 12 cordas) de Marco Aureh, que é como tal recordista em indicações do Prêmio Coca-Cola no RJ e em SP, tendo recebido esse Prêmio em 1994, 1996 e 1998. Secundado pelos músicos Leo Ruggero (violino, viola, bandolim e violão), Paulo Paqueta e Cacau Amaral ( percussões). A iluminação é de Djalma Amaral. O videografismo é de Jonas M Kühner e os cenários e figurinos de Érica Betdeber.
No Teatro Glauce Rocha, a partir de 19 de maio, às sextas, sábados e domingos, às 19 hs. Preços populares: $R20,00 (inteira) e R$10,00 (meia).