20/04/2014
domingo

Boa Páscoa! ...

Leia mais

 
 
 
 
 

 

 

 
Voto aberto avança no Senado

 

Senado ultrapassa Câmara e aprova antes PEC do voto aberto

 
Nesta quarta, senadores aprovaram proposta que obriga o voto aberto de parlamentares em processos por quebra de decoro. Desde 2006, outra PEC aguardava votação da Câmara, bloqueada por líderes conservadores e pelo presidente Marco Maia, que não incluiu até agora a PEC na pauta de votação da Casa.
 
O Senado Federal aprovou nesta quarta-feira (4/7), em dois turnos, Proposta de Emenda Constituição, de autoria do senador Álvaro Dias, determinando o voto aberto de parlamentares em processos por quebra de decoro. A iniciativa foi uma resposta à pressão pública feita pela aproximação da votação do pedido de cassação do mandato de Demóstenes Torres, agendado para o dia 11 de julho. Uma PEC semelhante, no entanto, aguardava, desde 2006, votação em segundo turno na Câmara dos Deputados. Na avaliação do deputado federal Ivan Valente, presidente da Frente Parlamentar pelo Voto Aberto no Congresso, a atitude do Senado atropelou o processo iniciador anteriormente e em curso na Câmara.
 
"Foi uma desmoralização para esta Casa", afirmou Ivan Valente, em discurso na Tribuna. "O bloqueio de líderes conservadores e a falta de vontade política do presidente da Câmara, Marco Maia, jogaram por terra um processo que espera, há mais de seis anos, deu desfecho na Câmara", criticou.
 
Nesta terça-feira (3), um abaixo-assinado dos líderes partidários, feito a partir de iniciativa da Frente Parlamentar, foi entregue ao Presidente da Câmara, pedindo urgência na votação em segundo turno da PEC 349.
 
Agora, além da PEC 349, que já tramita na Casa, a Câmara terá a outra PEC sobre o voto aberto que receberá do Senado para analisar. "O Senado jogou o problema para a Câmara. Agora resta saber se Marco Maia continuará não colocando em votação essa mudança constitucional que só tem benefícios a trazer à democracia brasileira", concluiu Ivan Valente.
 
Para o presidente da Frente Parlamentar, mesmo tendo atropelado o rito do Senado e votado a PEC em dois turnos no mesmo dia, não haverá tempo para a sanção da PEC do voto aberto antes da votação do pedido de cassação do mandato de Demóstenes Torres, que deve ser feito de forma secreta.
 
 
 
 
COMENTÁRIOS
 
Nome:
Email:
Comente:
Digite os números acima

   
   
 

início | cidadão | notícias | agenda | artigos | fotos | vídeos | links | boletim | pronunciamentos | fale conosco | deu na mídia